Residente app - Gerenciamento de pacientes

Residente app
Plataforma: AppleStore
Tamanho: 18.7 mb
Link para Download: ACESSAR

Residente App é um aplicativo especializado no gerenciamento de pacientes no ambiente hospitalar. Os usuários poderão armazenar dados, gerenciar e compartilhar informações. Residente App organiza e facilita o trabalho médico diário. Disponibiliza de forma clara e completa telas para admissão, evolução diária, prescrição e exames complementares

Residente App tem como principais usuários, residentes, médicos e estudantes de medicina, porém suas funcionlidades permitem serem utilizadas por dentistas, fisioterapeutas, enfermeiros, entre outros profissionais da saúde.

Residente App é de fácil utilização e interface amigável.

O aplicativo permite armazenamento de evoluções diárias.

Tabela CID10 disponível para consulta e mais de 300 exames laboratoriais já cadastrados, podendo ser adicionado conforme sua necessidade.

Cálculo de IMC e Clearence de Creatinina automático, na admissão e evolução do paciente.

Controle de UTI completo.

Armazenamento em Nuvem, podendo acessar de vários dispositivos através de uma conta.

O aplicativo disponibiliza as seguintes funcionalidades:

- Cadastro/Edição de pacientes;
- Cadastro/Edição de internações;
- Cadastro/Edição da admissão do paciente;

- Gerenciamento de evoluções
- Cria/Edita Evoluções diárias;
- Para cada evolução criada o aplicativo disponibiliza, controle de enfermagem, medicamentos em uso, queixas, ao exame físico e conduta;
- Permite exportar para PDF e enviar por e-mail ou para impressão; 

- Gerenciamento de exames laboratoriais
- Cria/Edita pedido de exames diários;
- Para cada pedido de exame criado, um conjunto de exames é adicionado automaticamente, facilitando assim a digitação do resultado;
- Filtros para busca de exames estão disponíveis;
- Permite exportar para PDF e enviar por e-mail ou para impressão; 

- Gerenciamento de Exames por Imagem
- Cria/Edita pedido de exames diários;
- Armazenamento ilimitado de imagens;

- Gerenciamento de Prescições
- Cria/Edita prescrições diárias;
- Para cada prescrição criada, medicamentos podem ser adicionados;
- Permite exportar para PDF e enviar por e-mail ou para impressão; 





Conversando com  Rafael Moraes (Desenvolvedor do aplicatico) foi passado mais detalhes do App.


História do Residente App

Como começou

Residente App, surgiu no dia 09 de setembro de 2013, após uma longa conversa com amigos estudantes de medicina e médicos que trabalham diariamente em hospitais.

            Pesquisas através da Apple Store, demonstraram que exite um grande potencial para este modelo de aplicativo no mercado.
           
Contribuiram para o projeto médicos e estudantes de medicina, além da consultorias de professores do curso de medicina.
           
No dia 17 de outubro de 2013, Residente App foi liberado para download. Atualmente está com aproximadamente 10.000 downloads.
           
Sua nova foi lançada no mês de Junho de 2015, utilizando a tecnologia Cloud para amazenamento e compartilhamento das informações. Esperamos chegar aos 20.000 usuários no ano de 2015/2016.


O que é residente app?

Residente App é um aplicativo especializado no gerenciamento de pacientes no ambiente hospitalar. Os usuários poderão armazenar dados, gerenciar e compartilhar informações de seus pacientes entre os usuários. Residente App organiza e facilita o trabalho médico diário. Disponibiliza de forma clara e completa telas para admissão, evolução diária, prescrição, exames complementares e controle de UTI.

            Residente App tem como principais usuários, residentes, médicos e estudantes de medicina, porém suas funcionlidades permitem serem utilizadas por dentistas, fisioterapeutas, enfermeiros, entre outros profissionais da saúde.

Usando a tecnologia Cloud Computing, Residente App, centraliza as informaçõe de forma segura, que permite através de um usuário e senha acessar seus dados de qualquer aparelho que contenha o Residente App instalado.

Residente App é de fácil utilização e interface amigável, permitindo o usuário de utilizar somente as informações necessárias para preenchimento. O acesso a essas informações também é muito fácil, permitindo agilidade na hora de localizar um paciente.
           
            Funcionalidades como impressão das informações também estão disponiveis no aplicativo, permitindo que seus usuários gerem, imprimem ou até mesmo envie por emails, prontuários, prescrições, evoluções, entre outras informações.

            O aplicativo dispõe da tabela CID10 para consulta de doenças e também mais de 300 exames laboratorias para montar seu próprio laudo. Existe também a possibilidade de que usuários criem novos exames para serem utilizados no aplicativo.

Cálculo de IMC e Clearence de Creatinina automático, na admissão e evolução do paciente também estão disponíveis no aplicativo.

            Um completo controle de UTI foi adicionado na versão 2, permitindo assim que usuários que tabalham diretamente ao setor de UTI, tenha um modulo específico.

Vantagem de utilizar Residente App?
           
            A grande vantage na utilização do Residente App é que usuários poderão gerenciar seus próprios pacientes de forma fácil, segura e eficiente, além de poder compartilhar com outros usuários, facilitando assim a passagem de informações de seus pacientes.
           
            A versão 2 permite trabalhar desconectado da internet, sendo assim, podendo enviar esses dados de forma rápida e segura para nosso servidor Cloud.

Segurança
           
            As informações armazenadas em nosso servidor, são totalmente criptografadas. Somente que tiver o aplicativo e acessar com seu usuário e senha, poderá visualizar as informações de seus pacientes.


Arquitetura




Dados Estatísticos

            Hoje após dois anos da criação do Residente App, contamos com uma base de dados de aproximadamente 10.000 usuários, sendo eles de vários setores da área da saúde, tais como, medicos, estudantes de medicina, dentistas, enfermeiros, entre outros.

            Residente App ficou por muito tempo entre os TOP 4 da área médica na AppleStore, sendo um dos mais baixados.

            Temos usuários de várias partes do mundo, Brasil, Portugal, Argentina, Chile, Peru, Estados Unidos, Espanha, Bolívia, entre outros paises que já baixaram e usam o Residente App.



Se gostou, de aquele like e compartilhe! 

Dengue - Manual de Enfermagem


Dengue - Manual de Enfermagem 
Formato: PDF
Número de páginas: 180
Tamanho: 1.73 MB
link para download: ACESSAR




A dengue no Brasil caracteriza-se por um cenário de transmissão endêmica/ epidêmica em grande parte do País, determinada principalmente pela circulação simultânea de vários sorotipos virais.

Esse cenário de intensa transmissão tem contribuído para a mudança no perfil da doença no País. Entre as principais mudanças na epidemiologia da doença no Brasil, destaca-se a ocorrência cada vez maior de suas formas graves e de óbitos. Nos últimos dez anos foram notificados 82.039 casos graves e 2.931 óbitos, o que representa um aumento de 705% e 974%, respectivamente, se comparado com a década anterior.


1 Introdução
2 Atendimento de Enfermagem ao Paciente com Suspeita de Dengue 
2.1 Classificação de risco 
2.2 Estadiamento clínico
2.3 Assistência de enfermagem
3 Prevenção e Medidas de Controle
3.1 Mobilização social e educação 
3.2 Controle do vetor: ações integradas e intersetoriais 
3.3 Promoção da integração do ACE na equipe de Atenção Básica
3.4 Monitoramento dos casos na Atenção Básica
3.5 Vigilância epidemiológica
3.6 Assistência ao paciente com suspeita de dengue 
Referências 
Literatura Consultada 
Anexos 
Anexo A – Exames laboratoriais 
Anexo B – Cartão de acompanhamento do paciente com suspeita de dengue 
Anexo C – Verificação de sinais vitais
Anexo D – Checklist: monitoramento dos pacientes internados
Anexo E – Checklist: grupos A e B 

18º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem está de inscrições abertas


Começam nesta segunda-feira (27/4) as inscrições para o 18º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem, no site http://cbcenf.cofen.gov.br. Com o tema “Desafios emergentes para a Enfermagem brasileira”, o congresso contará com intensa programação científica, construída em parceria pelo Cofen e pelos Conselhos Regionais, além de momentos de integração cultural.

Cerca de 6 mil congressistas são esperados no evento, realizado no Centro de Convenções de João Pessoa – Poeta Ronaldo Cunha, de 15 a 18 de setembro. Pesquisadores, estudantes e profissionais poderão inscrever trabalhos de 12/5 a 17/7.

Você, enfermeiro, técnico, auxiliar ou estudante de Enfermagem é nosso convidado. Inscrições antecipadas têm um desconto especial. Os profissionais deverão apresentar comprovação da categoria a que pertencem, e a categoria de inscrição constará no certificado do evento.

Leia a íntegra do regimento interno que rege o 18º CBCENF.

Concurso de Monografias - O parto: como harmonizar ciência e ética?

O Concurso de Monografias sobre Ética Médica, Bioética e Profissão Médica realizada pelo Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) chega, em 2015, a sua 26ª edição, com o tema “O parto: como harmonizar ciência e ética?”. O certame é aberto à participação de todos os cidadãos brasileiros, independentemente de formação profissional.

A Enfermagem tem uma atuação importante na atenção ao parto e no processo de humanização do nascimento, que destaca o respeito ao tempo do bebê e a autonomia das pacientes sobre seus corpos – um dos debates centrais da bioética.

As inscrições podem ser feitas online, no site do CRM-PR, até 10 de agosto. Criado em 1987, o concurso estimula o pensamento e o debate ético sobre temas de interesse da sociedade médica. O certame já trouxe temas como abordo, células-tronco, humanização e os dilemas éticos do morrer.

Fonte: CRM - PR

ESCLARECIMENTOS SOBRE A ATUAÇÃO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO PAÍS

Tendo em vista as indagações e diferentes interpretações geradas pela Portaria nº 734, de 2/5/2014, do Ministério da Saúde, o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) vem esclarecer à categoria o que se segue:

1 – As profissões listadas no quadro anexo à referida portaria são identificadas, para efeito do preenchimento da Matriz Mínima de Registro de Profissionais de Saúde do Mercosul, pela denominação ali constante;

2 – A Matriz Mínima de Registro de Profissionais de Saúde do Mercosul é um cadastro de preenchimento obrigatório que contem informações sobre os profissionais da área de saúde incluídos no acordo de livre circulação entre os países membros. Um dos itens desta Matriz Mínima é o de denominação dos profissionais que exercem ou que pretendam exercer sua profissão no Mercosul, estabelecendo a equivalência de termos entre os países membros.

3 – A Matriz Mínima foi aprovada pelo Grupo Mercado Comum pela Resolução nº 27/2004 e foi internalizada no Brasil pela Portaria GM nº 552/2005, do Ministério da Saúde. O seu preenchimento é o início do processo a que estarão submetidos os profissionais que desejarem migrar;

4 – O preenchimento da Matriz Mínima, embora obrigatório, não é suficiente para tornar legal o exercício profissional no Brasil. Para isto,continua sendo imprescindível a revalidação do diploma obtido em faculdade estrangeira e o registro no respectivo Conselho Profissional. A livre circulação de profissionais nos países que compõem o Mercosul obedece às regras já existentes no País para o exercício profissional;

5 – O gerenciamento de informações dos Conselhos Profissionais para a autorização de exercício profissional no Mercosul é realizado pelo sistema implantado na ferramenta gerencial PLATAFORMA AROUCA;

6 – O Conselho Federal de Enfermagem, juntamente com as demais entidades representativas da enfermagem nacionalmente, participa do FÓRUM PERMANENTE MERCOSUL PARA O TRABALHO EM SAÚDE, e acompanha as discussões referentes à agenda da SUBCOMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO E EXERCÍCIO PROFISSIONAL – SGT 11 (Saúde), no MERCOSUL. Assim sendo, não há razões para alarde em razão do seu conteúdo.

Sobre o assunto, em resposta a questionamento de uma enfermeira inscrita no Coren-MG, foi elaborado o Parecer Nº 205/2014, que pode ser consultado aqui.

Piso Salarial da Enfermagem - Acompanhe a tramitação no congresso.

Piso Salarial

Confira aqui a tramitação do PL que trata do piso salarial dos profissionais da Enfermagem.



Clique no link acima e acompanhei o tramitação da PL 4924/2009 que define o piso salario dos profissionais de Enfermagem.



Piso Salarial
Fica assegurado aos/às enfermeiros/as um piso salarial normativo equivalente a 10 (dez) vezes o valor do salário mínimo nacional.
PL 4924/09
Em 2009, foi criado o Projeto de Lei 4924/09, pelo deputado Mauro Nazif (PSB-RO), que fixa o piso salarial de enfermeiros em R$ 4.650,00.
O projeto de lei esta tramitando na Câmara Federal, sendo que em 11/04/2012 foi aprovado na Câmara de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) e a seguir encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça (CCJC).
Ainda existe um longo caminho até a aprovação final do Projeto de Lei, e estamos acompanhando a sua evolução. Abaixo segue o texto do projeto de lei:
PROJETO DE LEI Nº 4924 , DE 2009 (Do Sr. MAURO NAZIF)
Dispõe sobre o Piso Salarial do Enfermeiro, do Técnico de Enfermagem, do Auxiliar de Enfermagem e da Parteira.
O Congresso Nacional decreta:
Art. 1º Esta lei altera a Lei n.º 7.498, de 25 de junho de 1986, que “Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem, e dá outras providências”, a fim de estabelecer o piso salarial do Enfermeiro, do Técnico de Enfermagem, do Auxiliar de Enfermagem e da Parteira.
Art. 2º A Lei n.º 7.498, de 1986, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 15-A:
Art. 15-A. É devido o piso salarial de R$ 4.650,00 (quatro mil e seiscentos e cinquenta reais) ao Enfermeiro, a ser reajustado:
I – no mês de publicação desta lei, pela variação acumulada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor
– INPC, elaborado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, de março de 2009, inclusive, ao mês imediatamente anterior ao do início de vigência desta lei;
II – anualmente, a partir do ano subsequente ao do reajuste mencionado no inciso I deste artigo, no mês
correspondente ao da publicação desta lei, pela variação acumulada do INPC nos doze meses imediatamente anteriores.
Parágrafo único. O piso salarial dos profissionais de que tratam os arts. 7º, 8º e 9º desta lei é fixado com base no piso estabelecido no caput deste artigo para o Enfermeiro, na razão de:
I – cinquenta por cento para o Técnico de Enfermagem;
II – quarenta por cento para o Auxiliar de Enfermagem e para a Parteira.
Art. 3º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
Fonte: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=427859

Cartão SUS é ampliado para atender nômades, ciganos e moradores de rua



Por meio do cartão, é possível identificar o usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) e acompanhar os atendimentos realizados, onde quer que eles aconteçam devido ao acesso à base nacional de dados de saúde do cidadão

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal(SMS) amplia a utilização do Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS), para usuários nômades, ciganos e moradores em situação de rua, em qualquer unidade de saúde de Natal.

A medida atende as normas do Ministério da Saúde – MS, por meio da portaria nº 940, de 28 de abril de 201, que beneficia essa população.

O Cartão SUS é expedido pelo MS desde 1º de março de 2011. É o documento para quem precisa utilizar os serviços da rede pública de saúde de todo o país e que está sendo disponibilizado para qualquer pessoa, independente de ter residência fixa ou não.

“O Cartão SUS é um instrumento de identificação, que disponibiliza ao usuário o direito à saúde, tendo ele residência fixa ou não, bastando apenas que ele faça um cadastro para padronizar os procedimentos que democratiza o uso do recurso público, garantindo o direito da cidadania!”, destacou Suzy Pinheiro, coordenadora do Cartão SUS na SMS.

Por meio do cartão, é possível identificar o usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) e acompanhar os atendimentos realizados, onde quer que eles aconteçam devido ao acesso à base nacional de dados de saúde do cidadão.

Para a emissão do Cartão SUS, o usuário com residência fixa deve levar a seguinte documentação: identidade; CPF (crianças e adultos); certidão de nascimento quando menor de 13 anos; e comprovante de residência original. A inscrição pode ser na sede dos Distritos Sanitários, na própria secretaria ou na unidade de saúde mais próxima da residência.

Já para os nômades ou moradores de rua, não é exigida a apresentação do comprovante de residência. Eles podem procurar as unidades tanto para fazer o cartão, como solicitar quando necessitário de atendimento em um serviço de saúde, incluindo hospitais.

Fonte: O Jornal de Hoje